Movimento Sindical – Uma visão portuguesa do movimento anarcossindicalista


Esta semana o site Democracia e Mundo do Trabalho em Debate publicou nosso artigo:

Uma visão portuguesa do movimento anarcossindicalista: do sindicalismo revolucionário ao olhar oblíquo de Malatesta e Pannekoek.

Este artigo refere-se as considerações que apresentamos como contribuição na ocasião do CICLO DE DISCUSSÕES SOBRE SINDICATOS NO SÉCULO XXI, no Painel “Visões sobre os sindicatos”, que ocorreu no Sindicato dos Bancários de Porto Alegre, dia 29 de agosto de 2013.

Nossas considerações refletem, sobretudo, nossa preocupação com a crescente burocratização, judicialização e acomodação dos sindicatos em relação ao seu papel transformador e revolucionário. Poderemos dizer que hoje, mais do que nunca, são essencialmente instrumentos de “domesticação” da classe operária, pressionada entre a fragmentação, a terceirização e a precariedade do vínculo empregatício.

A nossa reflexão sobre as diversas visões dos sindicatos e dos rumos do sindicalismo no século XXI, têm como objetivo trazer para hoje parte dos grandes debates revolucionários sobre o papel do sindicato na construção de uma sociedade sem classes. Tendo em conta o fato de o anarquismo ser uma constante na sociedade ibérica e, por isso, permeabilizar o agir e o pensar sindical, não nos furtamos de tangenciar alguns tópicos mais relevantes no quadro do nosso pensar anarco-libertário como o das experiências do sindicalismo revolucionário e tão pouco de ressaltar as concordâncias entre Malatesta (anarquista) e Pannekoek (marxista) na essência conservadora do sindicalismo.

Leia também as matérias: Visões sobre os Sindicatos  e  Do Anarco-Sindicalismo ao olhar oblíquo de Malatesta e Pannekoek

Foto: Charles Soveral

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.