Filme


A legalização da precariedade – Dica de Filme: “O homem que virou suco”

Por Lorena Holzmann A recente aprovação da reforma da legislação trabalhista no Brasil – que seus defensores preferem chamar de modernização – suprime ou altera mais de 100 artigos da CLT – Consolidação das Leis do Trabalho – estatuto que regia as relações entre capital e trabalho desde o início da década […]


Reorganização do capitalismo em âmbito mundial: desindustrialização e seus efeitos

 Segunda-feira ao sol (Lunes al sol, Fernando León de Aranda, Espanha, 2002). Nos anos 1990, na Espanha, um estaleiro encerra suas atividades e deixa mais de 200 trabalhadores desempregados. As atividades produtivas foram transferidas para a Coréia do Sul. Os metalúrgicos espanhóis sabem que lá os salários são muito inferiores […]


Desemprego, mérito e individualismo: “O cachorro”, de Carlos Sorin

Na sociedade capitalista, tudo é mercadoria, valor de troca que se realiza no mercado em permuta com seu equivalente em dinheiro. A força de trabalho, conjunto de capacidades físicas e mentais de cada um, também é mercadoria, cujo valor de uso é cedido mediante o pagamento de um salário pago […]


DICA DE CINEMA: Que horas ela volta?

Tratar da luta de classes com sutileza é um desafio ganho pela cineasta Anna Muylaert. Num país que dissimula essa luta entre patrões e empregados domésticos através de louvadas relações cordiais tinturadas de afeto, seu quarto filme surpreende pela inteligência e leveza com que trata o tema. Depois de algum […]


DICA DE FILME – Princesas

O deslocamento de populações é um fenômeno recorrente na trajetória da humanidade no planeta. Ao longo de milênios, quase todo o espaço habitável foi ocupado. As causas desses deslocamentos são determinadas por fatores históricos específicos a cada contexto e cada época. Esgotamento da terra que possa garantir a sobrevivência dos […]


DICA DE CINEMA: Samba (que não é do crioulo doido) e ainda o tema das migrações

O samba do crioulo doido é uma paródia das letras dos sambas-enredo das escolas carnavalescas do Rio de Janeiro, escrita por Stanislaw Ponte Preta, pseudônimo de Sérgio Porto, escritor carioca. Ele fazia a crítica da pouca precisão, naquelas letras, de eventos e personalidades de nossa História, temas obrigatórios para a […]